quarta-feira, 27 de março de 2013

Necrófagos





O bando de urubus espreita, friamente
o que sobra de carne por entre os ossos do gado
o bando de urubus sobrevoa
pacientemente
sobre a relva espinhosa do pasto
o bando sedento e em silêncio
fareja a carcaça seca
na paisagem laranja que treme.

Beirando aquele caminho
o fim do meio dia revela
o bando de urubus que já vela
a morte que tarda a chegar.

(Yvanna Oliveira)


Fotografia de Cláudio F. Lima. http://olhares.uol.com.br/urubus-foto3463383.html

2 comentários:

  1. O Grupo (Academia Machadense de Letras) é destinado a todos aqueles que apreciam a cultura em geral (Literatura, Cinema, Teatro, Artes Plásticas, Música, Dança, Artesanato...). Participe e envie seus textos.
    https://www.facebook.com/groups/149884331847903/

    ResponderExcluir
  2. Esse teu texto me fez lembrar uma reportagem que vi essa semana sobre a seca no nordeste que me deixou com os olhos marejados, tristeza sem tamanho essa realidade tão distante e ao mesmo tempo tão perto de nós. Maravilha de texto, amiga Yvanna!

    ResponderExcluir